Blog SOS Amazônia
oficina dia 30/07/2020
Notícia

Educação ambiental, ações de resgate e combate a atividade do fogo

Khelven Castro

Marilene Vasconcelos, do departamento de áreas protegidas e biodiversidade da Secretaria de Estado de Meio Ambiente do Acre – SEMA, fala um pouco sobre o combate e o monitoramento do fogo no âmbito estadual. Dentro desse âmbito, vale ressaltar que a SEMA é responsável pelo monitoramento de desmatamento e degradação, enquanto o Instituto do Meio Ambiente do Acre - IMAC, coordena as ações de fiscalização e licenciamento

No Acre há uma sala de situação onde é feita o monitoramento hidrometeorológico e de queimadas que fornecem produtos com dados a população e instituições que queiram obter tais informações. São eles: o relatório de monitoramento hidrometeorológico, relatório de monitoramento de queimadas e o boletim de previsão do tempo.

No relatório de queimadas é possível ter informações sobre a qualidade do ar, focos de queimadas na Amazônia legal, focos de queimada no acre, risco de fogo observado e poluição atmosférica. No relatório hidrometeorológico é possível ver as previsões trimestrais, semanais e monitoramento da chuva acumulada.
 Para acessar essas informações basta clicar no link.  http://sema.acre.gov.br/sala-de-situacao/
Ou entrar no grupo do WhatsApp para receber direto no celular. https://chat.whatsapp.com/HbeJtXrrFac0Y18ddRm8ck

Ações e medidas do Batalhão de Policiamento Ambiental e Corpo de Bombeiro

Kleison Albuquerque, major do Batalhão de Policiamento Ambiental – BPA, conta sobre as ações realizadas dentro do território acreano. Ele ressalta também que a polícia militar do Acre não multa, apenas atua na esfera criminal. Atualmente há uma unidade de policiamento em Rio Branco e uma em Cruzeiro do Sul.

Como medidas preventivas o batalhão usa a prevenção e repressão. De modo geral é realizado algumas palestras em escolas de ensino fundamental sobre educação ambiental. Na repressão, atuam como casos de flagrantes e apreensão de animais ilegais.

No geral, a proteção de animais domésticos, exóticos e silvestres estão garantidos dentro da lei 9.605/98. Possuem leis especificas para a fauna silvestre e proteção geral contra abuso e maus tratos aos animais

Em uma visão geral é preciso entender que o Batalhão de Policialmente Ambiental resguarda a segurança dos animais, e que de forma alguma eles atuam contra a população. Animais silvestres não são alimentos, é preciso modificar esse costume social que de certa forma dificulta o trabalho de proteção a fauna.

No cenário de pandemia o tenente do corpo de bombeiros, Francisco Freitas comenta sobre o alto índice de queimadas e como ele é altamente prejudicial a população. As consequências tendem a ser mais impactantes. Para atender ao estado inteiro, o corpo de bombeiros possui cinco comandos operacionais divididas no estado, regional do Juruá, regional do Tarauacá/Envira, Sena Madureira e Epitaciolândia.

Para saber mais sobre o cronograma da oficina cliquei aqui https://drive.google.com/file/d/1lpKDIHoK85xie9X8cPfI2rBkJofRVOm-/view

Sobre a Oficina de Fauna


Realizada pela SOS Amazônia em parceria com o WWF – Brasil, a iniciativa tem por objetivo construir mecanismos e aperfeiçoar processos relacionados com os cuidados e procedimentos de resgate da fauna, bem como sobre a redução do impacto negativo do fogo sobre a fauna silvestre.


Colaboradores

Com a colaboração de diversas instituições (SEMA-AC, UFAC, Corpo de Bombeiros – Ac, Batalhão de Policiamento Ambiental – Ac, IBAMA – CETAS, ICMBio, Ministério Público do Estado do Acre - CAOP-MAPHU e o Instituto Federal do Acre – IFAC), será criado um roteiro metodológico para que sirva como base para o trabalho de instituições/organizações governamentais e da sociedade civil.